Lowsumerism: a nova forma de consumir

Entenda o que é Lowsumerism, o por que e como ter um consumo consciente, na prática!


Você já sentiu vontade de comprar um carro bacana? Já sonhou em comprar uma casa? Ou ainda, tem vontade de comprar aquela roupa linda da vitrine todos os meses? E aquele sapato em liquidação ou aparelho celular lançado recentemente?

Pois bem, você não está só. Esses são desejos da grande maioria das pessoas e muitas pensam em comprar constantemente, consumindo em excesso, se tornando o famoso consumista. Mas, você já parou para pensar nas consequências desse tipo de comportamento? Ou ainda, como ele surgiu?

No passado, nossa cultura era guiada para consumir apenas o que era necessário para satisfazer as nossas necessidades, como água e alimentação. Mas, nossa cultura atual transformou tudo em excesso.

Onde tudo começou

A maneira como gastamos o dinheiro hoje iniciou-se no século XIX, época da Revolução Industrial. Para que os lucros das empresas crescessem, era necessário aumentar a produção em massa e sucessivamente a demanda pelos seus produtos.

Não demorou muito e logo ocorreu o “boom” nos setores de Marketing e Publicidade e juntamente com ele, nasceu a indústria do crédito e a mentalidade do “compre agora, pague depois”, encorajando as pessoas a comprarem mais que o necessário. Isso fez muitas delas viverem endividadas. Cenário comum até os dias de hoje.

Ter determinados itens como uma casa grande e bonita, e um carro de última geração, conquistados com muito trabalho duro, virou sinônimo de felicidade, bem-estar, poder e características de uma pessoa “bem sucedida”. Um padrão de vida fortemente desejado. O famoso “sonho americano” espalhado e incorporado em muitas culturas.

Em seguida o consumo individualista tomou conta e com isso vieram a criação de nichos e públicos-alvo. A era do consumismo chegou. O consumo se tornou consumismo. E com isso, diversos problemas surgiram na sociedade como compulsão por comprar, ansiedade constante e depressão.

Movimentos de conscientização ambiental, ergueram a bandeira dos riscos e impactos negativos do consumo excessivo. Mas, não receberam a atenção devida.

Mais recentemente, o “boom” da economia compartilhada trouxe uma nova mentalidade para o consumo, priorizando o acesso a bens e serviço ao invés da posse. Ajudando a reduzir as consequências do consumo desenfreado.

A evolução do consumismo
A evolução do consumismo

Consequências do consumo excessivo ao meio ambiente

Há uma relação muito forte entre o consumismo, a sociedade e o meio ambiente. A razão disso é que para atender a demanda da produção e do consumo é necessário utilizar recursos naturais, fabricar e transportar materiais, utilizando grande quantia de energia elétrica e água.

Esses eventos resultam na emissão de gases poluentes, poluição e destruição de ecossistemas. Além disso, um alto acúmulo de lixo acontece. Não só lixo orgânico, mas também lixo eletrônico, industrial, hospitalar, entre outros.

Segundo estudo feito pela empresa focada em pesquisa de tendências de comportamento e consumo Box1824, só nas últimas três décadas, 1/3 dos recursos da Terra foram consumidos.  Isso é um processo de autodestruição. A Terra precisaria ter 50% mais recursos para sustentar padrão de consumo atual (fonte: Akatu). Toda matéria é finita. Por quanto tempo mais o planeta aguentará se continuar dessa forma?

Lowsumerism: o consumo equilibrado e consciente como solução

Não há dúvidas que algo precisa ser feito e com urgência para garantir a saúde do meio ambiente, da sociedade, do nosso planeta. Para garantir um mundo melhor para as futuras gerações, mudar a forma que consumimos é o caminho. Isso é o que dita o lowsumerism.

O lowsumerism – união das palavras “low”, que significa baixo em inglês, e “consumerism”, que significa consumismo – consiste em repensar o hábito de comprar. Ter um consumo consciente e consumir menos – ter o que realmente é necessário.

Na prática, antes de uma compra você tem que se questionar: Eu realmente preciso disso? Eu posso pagar por isso? Não estou sendo iludido pela propaganda? Essa compra pode prejudicar o planeta?

São basicamente três atitudes:

  • pensar antes de comprar;
  • buscar alternativas de menor impacto ao meio ambiente;
  • viver apenas com o que é realmente necessário.
Atitudes Lowsumerism
Atitudes Lowsumerism

Acredite, essas pequenas atitudes podem causar um impacto enorme.

Soluções que ajudam o movimento

muitas iniciativas relacionadas ao consumo consciente que estão ganhando força na sociedade. Compartilhamento em várias esferas como compartilhar roupas, objetos e até mesmo veículos e residências. Predileção pelo faça você mesmo (DIY – do it yourself), alimentação orgânica feita por produtores locais.

Hoje, muitas empresas oferecem produtos e serviços que ajudam a ingressar no comportamento “lowsumer”. Soluções que dão acesso a novas alternativas de menor impacto ambiental, diminui a necessidade de posse de bens, além de dar vantagem financeira. Conheça algumas delas abaixo:

#Airbnb

Você não precisa mais ter uma casa na praia ou nos seus lugares favoritos para aproveitar viagens nas folgas e férias do serviço. Graças a empresa Airbnb, donos de propriedades que não utilizam seu espaço, podem dar acesso a outras pessoas que se interessarem em morar por lá por um período determinado, eliminando gastos excessivos com moradia para ambas partes.  

#BLIMO

Imagina como seria ter uma roupa nova sem precisar comprá-la de fato. Graças a biblioteca de moda BLIMO isso é uma realidade. Reduzindo o acúmulo de roupas sem uso e compras por impulso, a empresa disponibiliza um acervo de roupas e acessórios que por um preço fixo mensal você pode usá-los o quanto quiser. Funciona como um guarda-roupa compartilhado, ou ainda, como eles se referem, uma “Netflix de roupas”.

#Fretadão

Muitas pessoas já sabem que uma solução mais sustentável para o transporte urbano diário é o transporte coletivo. Afinal, veículos individuais como carros, além de ter um custo elevado, têm a capacidade de transportar poucas pessoas, onde só em São Paulo representa apenas 30% dos passageiros, mas respondem por 73% das emissões de gases poluentes. (fonte: Estadão)

Usar o transporte público comum, pode muitas vezes ser ineficiente e desconfortável. Pensando nisso surgiu o Fretadão, o maior portal de fretados do Brasil. Lá você pode encontrar um ônibus fretado para utilizar diariamente, seja na ida e volta ao trabalho ou faculdade. Você como pessoa física pode contratar pagando uma mensalidade e se deslocar cidade com rapidez, segurança e muito conforto.

Leia também:

#Tem açúcar?

Quantas vezes você já precisou de um utensílio doméstico ou ferramenta que não tinha em casa? E pior: comprou e nunca mais utilizou? O Tem açúcar? revive e facilita aquele velho e bom hábito de bater na porta do vizinho para pedir uma xícara de açúcar.

A plataforma conecta pessoas que moram próximas uma das outras e facilita o empréstimo e doações de objetos, como uma furadeira ou barraca para um acampamento emprestada por um final de semana. Tudo de forma simples, rápida e gratuita. Excelente maneira de difundir o consumo consciente e evitar compras desnecessárias.

Lembrou-se de outras soluções que ajudam praticar o Lowsumerism? Então deixe um comentário neste texto e compartilhe com a gente e com os nossos demais leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *